Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página

Laboratório Búrigo

Resultado Online
WhatsApp: (48) 99936-0029
Segunda a sexta das 7h às 18h e
sábado das 7h às 11h
AGENDAMENTO

Olá! Antes de acessar seus resultados, participe da nossa
pesquisa de satisfação e concorra ao sorteio de um brinde!

SIM Não, ir direto para acesso ao resultado

Escolha o seu perfil de pesquisa e responda com toda sinceridade.
Queremos melhorar sempre!

Infantil Domiciliar Adulto

Para nossa equipe, é fundamental que tenhamos seu cadastro completo e atualizado, com todas as informações que podem influenciar na realização de seus exames.
Clique aqui e atualize seu cadastro conosco!

Pesquisa. Qual o tipo de seu atendimento:

Infantil Domiciliar Adulto
Já fiz! Pular a pesquisa e ir direto para a Consulta On-line.
Clique Aqui

Vacinas e doenças preveníveis

  • BCG

    Contra a tuberculose.
    Tuberculose é uma doença infecciona, transmissível, causada por bactéria-obacilo da tuberculose.
    Os bacilos da tuberculose se transmitem principalmente por via área, inalados a partir da sua eliminação pelo escarro de doentes não tratados.
    Os casos de meningite tuberculose podem ser evitados iniciando-se o tratamento imediato dos casos de tuberculose pulmonar diagnosticados, mantendo altas coberturas vacinais com a BCG.

  • Hepatite B

    Hepatite B é uma doença infecciosa que acomete o fígado e que pode ter consequências sérias ao longo da vida. Resulta de infecção pelo vírus da Hepatite B, levando à doença crônica ou aguda. Esta doença pode trazer graves consequências como câncer hepático ou a cirrose.

  • Pneumocócica 13

    Protege as crianças contra a meningite (inflamação das membranas que envolvem o sistema nervoso central), septicemia (infecção generalizada), bacteremia (infecção na corrente sanguínea), pneumonia (inflamação dos pulmões) geralmente devido a infecção e otite (média inflamação do ouvido), geralmente devido a infecção.

    A vacina pode prevenir essas doenças e diminuir a disseminação da bactéria para outras crianças.
    O esquema vacinal completo é de 4 doses, podendo variar de acordo com a idade. Essa vacina está licenciada no Brasil para crianças de 2 meses à 5 anos e 11 meses e para crianças de 6 à 18 anos com condições de alto risco.

    As crianças que já receberam o esquema completo da Pneumo 7 ou Pneumo 10 devem receber uma dose suplementar de Pneumo 13, com intervalo mínimo de 2 meses como complemento às outras vacinas pneumocócicas.

  • Pneumocócica 23

    Protege contra infecção pelo pneumococo. Indicada para crianças a partir dos 2 anos de idade que possuam doenças de base que os coloquem em risco para doenças como: diabetes, cardio, pneumopatias, esplenectomizados) e em idosos.

  • Rota Vírus (penta)

    É uma doença causada por sete tipos diferentes de sorotipos que são antigênicos diferentes, mas da mesma espécie microbiana, porém, apenas três infectam o ser humano.

    Os principais sintomas são: diarreia – que pode levar a desidratação; vômitos e febre, além de problemas respiratórios, como coriza e tosse.
    A transmissão pode ser fecal-oral, ou seja, o vírus é eliminado nas fezes do paciente, contaminando a água ou alimentos e pode entrar em contato com a pessoa através das mãos.

  • Meningites (Meningocócica C, Meningocócica B e Meningocócica ACWY)

    A doença meningocócica é uma infecção bacteriana água e rapidamente fatal, causada pela NeisseriaMeningitiais. Essa bactéria pode causar inflamação nas membranas que revestem o sistema nervoso central (meningite) e infecção generalizada (meningocemia). Existem 13 sorotipos são: o A, o B, o C, o Y, e o W135.

    Infecção das membranas que envolvem o sistema nervoso central. Essas infecções podem também atingir o próprio sistema nervoso, determinando casos mais graves.
    O doente pode apresentar febre elevada, vômitos, dor de cabeça e às vezes convulsões, podendo evoluir para coma e morte.

    Vários agentes são responsáveis pela doença e entre eles se encontram as bactérias e vírus.
    A confirmação do diagnóstico é feita pelo exame do líquido cefalorraquidiano colhido por meio de punção lombar.
    O meningococo causa a doença meningocócica, que se caracteriza por início brusco e com mortalidade elevada e precoce.

    Às vezes, se manifesta apenas por sintomas localizados na nossa faringe ou não apresenta sintomas. Outras vezes a infecção é restrita as meninges, caracterizando uma meningite pura. As formas mais graves são caracterizadas por septicemia ou meningococemia, que representa invasão generalizada da circulação sanguínea e de todo o organismo pela bactéria.

    Os meningocócicos são transmitidos de pessoa à pessoa, a partir das secreções orais e nasais.

  • Febre Amarela

    Doença infecciosa aguda, transmissível e febril, causada pelo vírus da febre amarela que determina um quadro grave de insuficiência renal e hepática, podendo levar rapidamente a morte.

    A febre amarela urbana é transmitida principalmente pela picada do mosquito Aedes Aegypti, que é infectado ao picar um doente na fase inicial da doença. Já a febre amarela silvestre é transmitida pela picada de espécies de mosquitos silvestres do gênero Aedes  albopictus que possuem a capacidade de combinar o ciclos silvestres e urbanos da febre amarela.

    Toda população deve ser vacinada, brasileiros e estrangeiros, especialmente aqueles que residem e/ou viajam para as áreas consideradas de risco: no Brasil, a Amazônia legal (Acre Amazonas, Amapá, Rondônia, Roraima, Tocantins, Pará, Maranhão e Mato Grossa), Mato Grosso do Sul, Goiás, e Distrito Federal; No exterior, ver Regimento Sanitário Internacional/ Organização Mundial da Saúde. A vacina é oferecida a partir dos nove meses, sendo dose única, com proteção após 10 dias. Requer uma dose de reforço a cada 10 anos.

  • Hexavalente (DTP acelular, Hemófilos tipo B, poliomielite e hepatite B)

    Protege contra: difteria, tétano, coqueluque, meningite provocada pela bactéria Haemophilusda Influenza tipo B, hepatite B e poliomielite.

    Difteria
    A difteria (crupe) é uma doença bacteriana aguda, cujas lesões características são membranas branca-acinzentadas e aderentes, circundadas por processos inflamatórios que invadem as estruturas vizinhas, localizadas mais frequentemente nas amigdalas, laringe e nariz.

    A doença compromete o estado geral do paciente que apresenta febre, cansaço e palidez. Há dor de garganta discreta. Em casos mais graves pode haver edema intenso no pescoço, aumento de gânglios linfáticos na região e até asfixia mecânica aguda pela obstrução causada pela placa.

    A difteria pode acometer pessoas suscetíveis (não adequadamente vacinadas).

    Coqueluche
    A coqueluche, também conhecida como “tosse comprida” é uma doença causada por uma bactéria que afeta os brônquios e os pulmões, e seus sintomas iniciais se assemelham ao da gripe. A criança tem febre, tosse e o nariz escorre.

    A transmissão da bactéria acontece diretamente do doente para o sadio ao tossir, espirrar ou falar. Os objetos contaminados pelas secreções do doente podem ser fonte de transmissão da doença.
    Para evitar a coqueluche, é preciso vacinar a criança a partir dos 2 meses de idade.

    Tétano
    É uma doença neurológica muito grave, caracterizada por espasmos musculares fortes, causada pela toxina do bacilo do tétano, um micróbio que vive na terra, na poeira da rua e nas fezes de pessoas e animais.

    O tétano não se transmite de uma pessoa para outra, mas qualquer pessoa ao se ferir com pregos, latas velhas, cacos de vidro, arame, etc, pode contrair a doença.
    Mesmo os ferimentos provocados por objetos que pareçam limpos, como agulha, tesoura ou espinhos de plantas, pode causar tétano.
    Para evitar o tétano é preciso vacinar as crianças e adultos de acordo com a faixa etária a ser vacinada.

    Haemóphilus Influenza tipo B
    Haemóphilus influenza tipo B, coloniza o aparelho respiratório.

    A transmissão da HIB se dá pelo contato com pessoas infectadas com a bactéria, mesmo que estes não apresentem manifestações clínicas. Os germes passam de pessoas a pessoas através das secreções da mucosa nasal, se permanecerem a pessoa não ficará doente. Algumas vezes, os germes localizam-se nos pulmões ou na corrente sanguínea e, então, a HIB pode causar problemas graves.

    Prevenção: a vacinação é a única forma de se prevenir contra a doença, a sua eficácia é de 95% à 100% após a aplicação do esquema completo de imunização.

    Poliomielite
    É uma doença viral que pode afetar os nervos e levar a paralisia parcial ou total. É causada pela infecção pelo poliovírus. Os vírus se espalham por contato direto pessoa a pessoa, por contato com muco, catarro ou fezes infectadas. O vírus entra através da boca e do nariz e se multiplica na garganta e no trato intestinal. Sendo absorvida e se espalhando pelo sangue e pelo sistema linfático. O períodos de infecção pelo vírus, até que surjam os sintomas da doença (incubação) varia de 5 a 35 dias.

    Para evitar a transmissão da poliomielite é preciso amamentar todas as crianças, de modo exclusivo, até o sexto mês, pois os anticorpos maternos que são transmitidos pelo leite materno, protegem as crianças nas primeiras semanas de vida.

  • Influenza Tetravalente / Influenza Quadrivalente

    Influenza, comunente como a gripe é uma doença viral aguda, geralmente benigna e auto limitada, frequentemente é caracterizada por início abrupto dos sintomas, que são predominantes sistêmicos, incluindo febre, calafrios, tremores, dor de cabeça, mialgia e anorexia, assim como sintomas respiratórios como tosse seca, dor de garganta e coriza.

    A infecção geralmente dura uma semana e com os sintomas sistêmicos persistindo por alguns dias, sendo febre o principal.
    Algumas pessoas como idosos, crianças, gestantes e pessoas comorbidade possuem um risco maior de desenvolver complicações devido a Influenza.
    A vacinação é a intervenção mais importante na redução do impacto da Influenza.

    Trata-se de vacina inativa, portanto não tem como causar a doença. Sua formulação contém proteínas  de diferentes cepas do vírus influenza, definidas ano a ano conforme a orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS), que realiza a vigilância os hemisférios norte e sul.

    As cepas vacinais são cultivadas em ovos embrionados de galinha e por isso as vacinas contém traços de proteínas do ovo.
    Existe vacina trivalente com duas cepas de vírus A e uma cepa de vírus B; a vacina quadrivalente com duas cepas de vírus A e duas cepas do vírus B.

  • Tríplice Viral (caxumba, sarampo e rubéola)

    Caxumba

    A caxumba, também chamada de papeira ou parotidite, tem um período de incubação de duas ou três semanas. Seus primeiros sintomas são: febre, calafrios, dores de cabeça, dores musculares e ao mastigar ou engolir, além de fraqueza.

    Uma das principais características da doença é o aumento das glândulas salivares próximo aos ouvidos, que fazem o rosto inchar. Nos casos graves a caxumba pode causar surdez, meningite e raramente levar a morte.

    Após a puberdade pode causar inflamação e inchaço doloroso nos testículos (orquite) nos homens, ou dos ovários (ooforite) nas mulheres e levar a esterilidade. Por isso, é necessário redobrar a atenção nestes casos e ter acompanhamento médico.

    Transmissão:

    Altamente contagiosa, a caxumba é causada pelo vírus Paramyxovírus, transmitido por contato direto com gotículas de saliva ou perdigotas de pessoas infectadas.
    Costumam ocorrer surtos da doença no inverno e na primavera, as crianças são as mais atingidas.
    A melhor maneira de evitar a caxumba é através da vacina aos 12 e 15 meses de vida.

    Sarampo
    É uma doença infecciona, transmissível, muito contagiosa, causada pelo vírus do sarampo, que passa de uma pessoa para outra com muita facilidade. O sarampo é uma doença grave, porque deixa o organismo fraco, o que facilita o aparecimento de complicações oculares, auditivas, neurológicas, respiratórias e digestivas, podendo causar sequelas importantes: cegueira, surdez e etc. O problema fica mais grave quando a criança já é fraca e desnutrida, podendo, nesta situação, até morrer.

    O único meio disponível de evitar essa doença é a vacina. A vacina é usada na rotina a partir dos 12 meses de idade e é capaz de proteger 80% à 85% das crianças vacinadas, tendo em vista os anticorpos maternos transferidos às crianças. Por isso, tem sido adotado uma segunda dose aos 15 meses de idade, garantindo assim a proteção daqueles 15% à 20% que ficaram sem proteção após administração da primeira dose da vacina.

    Rubéola
    É uma doença infecciosa, transmissível, muita contagiosa, aguda, causada pelo vírus da rubéola. A doença provoca manchas vermelhas (exantema) com características de máculas e pápulas difusas, começando na face, coro cabeludo, espalhando-se a seguir pelo tronco e membros.

    Além disso, ocorre febre baixa e “caroços” (gânglios) atrás das orelhas e pescoço, 5 e 10 dias antes do exantema, coriza e conjuntivite discreta.
    O único meio disponível para evitar essas doenças é a vacina Tríplice Viral (sarampo, caxumba e rubéola).

  • Tetra Viral (caxumba, sarampo, rubéola e catapora)

    Caxumba
    A caxumba, também chamada de papeira ou parotidite, tem um período de incubação de duas ou três semanas. Seus primeiros sintomas são: febre, calafrios, dores de cabeça, dores musculares e ao mastigar ou engolir, além de fraqueza.

    Uma das principais características da doença é o aumento das glândulas salivares próximo aos ouvidos, que fazem o rosto inchar. Nos casos graves a caxumba pode causar surdez, meningite e raramente levar a morte.

    Após a puberdade pode causar inflamação e inchaço doloroso nos testículos (orquite) nos homens, ou dos ovários (ooforite) nas mulheres e levar a esterilidade. Por isso, é necessário redobrar a atenção nestes casos e ter acompanhamento médico.

    Transmissão:
    Altamente contagiosa, a caxumba é causada pelo vírus Paramyxovírus, transmitido por contato direto com gotículas de saliva ou perdigotas de pessoas infectadas. Costumam ocorrer surtos da doença no inverno e na primavera, as crianças são as mais atingidas.
    A melhor maneira de evitar a caxumba é através da vacina aos 12 e 15 meses de vida.

    Sarampo
    É uma doença infecciona, transmissível, muito contagiosa, causada pelo vírus do sarampo, que passa de uma pessoa para outra com muita facilidade. O sarampo é uma doença grave, porque deixa o organismo fraco, o que facilita o aparecimento de complicações oculares, auditivas, neurológicas, respiratórias e digestivas, podendo causar sequelas importantes: cegueira, surdez e etc. O problema fica mais grave quando a criança já é fraca e desnutrida, podendo, nesta situação, até morrer.

    O único meio disponível de evitar essa doença é a vacina. A vacina é usada na rotina a partir dos 12 meses de idade e é capaz de proteger 80% à 85% das crianças vacinadas, tendo em vista os anticorpos maternos transferidos às crianças. Por isso, tem sido adotado uma segunda dose aos 15 meses de idade, garantindo assim a proteção daqueles 15% à 20% que ficaram sem proteção após administração da primeira dose da vacina.

    Rubéola
    É uma doença infecciosa, transmissível, muita contagiosa, aguda, causada pelo vírus da rubéola. A doença provoca manchas vermelhas (exantema) com características de máculas e pápulas difusas, começando na face, coro cabeludo, espalhando-se a seguir pelo tronco e membros.

    Além disso, ocorre febre baixa e “caroços” (gânglios) atrás das orelhas e pescoço, 5 e 10 dias antes do exantema, coriza e conjuntivite discreta.

    Varicela (catapora)
    Catapora é uma doença viral altamente contagiosa que geralmente afeta crianças, mas que também pode atingir adultos, e sendo um pouco mais grave quando ocorre na gravidez.

    Prevenção:

    Cuidar o contato com indivíduos com catapora;
    Tomar a vacina contra a catapora.

    O indivíduo com a catapora apresenta bolhas e líquidos nelas.
    Deve evitar o contato com outras pessoas, pois o vírus está presente neste liquido. Em média, a partir do sexto dia da doença ter surgido, essas bolhas ganham crosta e secam e a catapora deixa de ser contagiosa.

    Contudo, o indivíduo pode transmitir a doença para outros de um ou dois dias antes de iniciarem os sintomas e por isso a forma mais eficaz de se prevenir contra a catapora é a vacinação.

    A vacina contra o vírus Varicela-Zoster pode ser administrada a todos os indivíduos saudáveis com mais de 1 ano de idade que ainda não tenham tido catapora.  Ela é de 80% eficaz e protege contra a forma mais grave da catapora, e mesmo que o indivíduo vacinado pegue catapora ele desenvolverá uma forma muito leve da doença, manifestando sintomas mais brandos e alcançando a cura em metade do tempo.

  • Varicela (catapora)

    Catapora é uma doença viral altamente contagiosa que geralmente afeta crianças, mas que também pode atingir adultos, e sendo um pouco mais grave quando ocorre na gravidez.

    Prevenção:

    Cuidar o contato com indivíduos com catapora;
    Tomar a vacina contra a catapora.

    O indivíduo com a catapora apresenta bolhas e líquidos nelas.
    Deve evitar o contato com outras pessoas, pois o vírus está presente neste liquido. Em média, a partir do sexto dia da doença ter surgido, essas bolhas ganham crosta e secam e a catapora deixa de ser contagiosa.

    Contudo, o indivíduo pode transmitir a doença para outros de um ou dois dias antes de iniciarem os sintomas e por isso a forma mais eficaz de se prevenir contra a catapora é a vacinação.

    A vacina contra o vírus Varicela-Zoster pode ser administrada a todos os indivíduos saudáveis com mais de 1 ano de idade que ainda não tenham tido catapora.  Ela é de 80% eficaz e protege contra a forma mais grave da catapora, e mesmo que o indivíduo vacinado pegue catapora ele desenvolverá uma forma muito leve da doença, manifestando sintomas mais brandos e alcançando a cura em metade do tempo.

  • HPV Quadrivalente

    HPV é um vírus que atinge a pele e as mucosas, podendo causar verrugas ou lesões percursoras de câncer, como o câncer de colo de útero, garganta ou ânus.

    Prevenção

    O uso de preservativos ainda é a melhor forma de prevenção, porém outra forma eficaz de prevenção também é a imunização através da vacinação.

     

  • Hepatite A

    É uma doença contagiosa do fígado resultante de infecção pelo vírus Hepatite A. A doença pode variar de gravidade, indo de moderada durante poucas semanas e severa por vários meses. Hepatite A geralmente é contraída quando a pessoa ingere material fecal de pessoa infectada, mesmo em quantidade microscópica, a partir de objetos, alimentos ou bebidas.

    Prevenção:
    A melhor forma de prevenção é a vacinação, a qual é recomendada para todas as crianças. Também pode ajudar na prevenção lavar as mãos com sabão e água após usar o banheiro, trocas de fralda ou antes de preparar alimentos.

  • DTPa acelular

    Tríplice bacteriana acelular do adulto (DTPa) Difteria/tétano/coqueluche.
    Indicação: Proteção contra difteria, tétano e coqueluche que pode se vacinar crianças a partir de 4 anos, adolescentes, adultos e idosos.

    É constituída de antígenos protetores contra a difteria a coqueluche e o tétano e é composta por dois toxóides (tétano e difteria) e antígenos purificados da bactéria que causa coqueluche (BordetellaPertussis), fazendo com que as reações à vacina sejam menos frequentes e mais leves.

    Difteria
    A difteria (crupe) é uma doença bacteriana aguda, cujas lesões características são membranas branca-acinzentadas e aderentes, circundadas por processos inflamatórios que invadem as estruturas vizinhas, localizadas mais frequentemente nas amigdalas, laringe e nariz.

    A doença compromete o estado geral do paciente que apresenta febre, cansaço e palidez. Há dor de garganta discreta. Em casos mais graves pode haver edema intenso no pescoço, aumento de gânglios linfáticos na região e até asfixia mecânica aguda pela obstrução causada pela placa.
    A difteria pode acometer pessoas suscetíveis (não adequadamente vacinadas).

    Coqueluche
    A coqueluche, também conhecida como “tosse comprida” é uma doença causada por uma bactéria que afeta os brônquios e os pulmões, e seus sintomas iniciais se assemelham ao da gripe. A criança tem febre, tosse e o nariz escorre.

    A transmissão da bactéria acontece diretamente do doente para o sadio ao tossir, espirrar ou falar. Os objetos contaminados pelas secreções do doente podem ser fonte de transmissão da doença.
    Para evitar a coqueluche, é preciso vacinar a criança a partir dos 2 meses de idade.

    Tétano
    É uma doença neurológica muito grave, caracterizada por espasmos musculares fortes, causada pela toxina do bacilo do tétano, um micróbio que vive na terra, na poeira da rua e nas fezes de pessoas e animais.

    O tétano não se transmite de uma pessoa para outra, mas qualquer pessoa ao se ferir com pregos, latas velhas, cacos de vidro, arame, etc, pode contrair a doença.
    Mesmo os ferimentos provocados por objetos que pareçam limpos, como agulha, tesoura ou espinhos de plantas, pode causar tétano.
    Para evitar o tétano é preciso vacinar as crianças e adultos de acordo com a faixa etária a ser vacinada.

  • Dengue

    A vacina contra a dengue é uma vacina criada para prevenir a manifestação do vírus. Como a dengue é um vírus incurável e que pode levar a complicações sérias, dependendo de sua infecção, a vacina é uma forma de prevenir a doença, principalmente suas formas mais graves.

    A dengue é uma doença infecciona febril aguda causada por um vírus da família Flaviridaee é transmitida no Brasil através do mosquito Aedes Aegypti, também infectado pelo vírus.

    Atualmente, a dengue é considerada um dos principais problemas de saúde pública em todo mundo. Em todo o mundo, existem 4 tipos de dengue, já que o vírus causador da doença possui 4 sorotipos: Den-1, Den-2, Den-3 e Den-4.

  • Herpes Zoster

    É uma infecção viral que provoca vesículas na pele e geralmente é acompanhada de dor intensa. Ela pode acometer qualquer parte do seu corpo, mas é mais frequente no tronco e no rosto, evidenciando-se com uma faixa de vesículas em apenas um dos lados do corpo.

    É causado pelo vírus Varicela-Zóster, o mesmo agente da catapora e acomete pessoas que tiveram catapora em algum momento da vida e ficaram com o vírus latente (adormecido) em gânglios do corpo. Anos mais tarde esse vírus pode reativar na forma de Herpes Zoster.

    Embora não seja uma condição de risco de vida, o Herpes Zoster pode ser muito doloroso. Vacinas podem diminuir as chances de se ter a doença enquanto o tratamento precoce reduz as chances de complicações.

    A razão para o Herpes Zoster ocorrer não é clara, pode ser que ele aconteça devido a baixa imunidade, uma vez que ele é mais comum em idosos e pessoas com sistemas imunológicos debilitados.

    O vírus que causa a varicela é o herpes zoster não é o mesmo vírus responsável pelo herpes labial ou genital, são vírus de famílias diferentes, tendo apenas em comum o nome herpes.

    Prevenção:
    A única maneira de prevenir o herpes zoster é a vacinação.